SAC.ORG.BR

A Casa de Vovó Dedé, que este ano
completa 21 anos, oferece cursos
gratuitos de violão, violino, violoncelo,
piano, flautas doce e transversa

Para a professora de piano e jurada do II Concurso de Música Jovens Talentos, Nelma Dahas, professora do curso de Bacharelado em Piano da Uece, o concurso é um estímulo precioso para que os jovens talentos continuem se dedicando aos estudos e aprimorando cada vez mais suas capacidades. “O evento é a continuação de um trabalho muito bonito que a entidade vem realizando há muitos anos. Nós sabemos o quanto é difícil conseguir estímulos para seguir trabalhando com música erudita”, afirma.

Alfredo Barros, maestro da Orquestra Sinfônica da Uece (Osuece) e que também integra o júri do concurso, corrobora a visão positiva em relação ao concurso, mas relativiza a “aura” que envolve os trabalhos realizados no ensino de instrumentos como violino e piano. “Para mim não existe essa distinção entre música erudita e popular. Esse concurso representa um investimento na música, porque esses jovens conseguem tocar qualquer coisa. É um incentivo aos jovens talentos”, diz.

O maestro da Osuece destaca a Casa de Vovó Dedé como um celeiro de novos talentos que tem preparado os novos músicos cearenses.

“Qualquer iniciativa séria vai gerar talentos interessantes. Se houver investimento e atenção adequada, bons frutos aparecem em pouco tempo”. Alfredo ainda destaca o esforço que é realizado no Estado para fomentar o ensino da música. “As instituições que lidam com assistências sociais estão abrindo precedentes na formação e na divulgação de novos talentos. Eu sou totalmente adepto disso e levo essa luta para a universidade como forma de dar atenção aos alunos com grandes capacidades”.

Com 21 anos de atuação, a Casa de Vovó Dedé marcou o início de muitos estudantes, que deram continuidade aos estudos em universidade, conservatórios ou integrando orquestras e sinfonias.

Tanto Alfredo Barros quanto Nelma Dahas atestam o bom nível de formação que a entidade da Barra do Ceará vem desempenhando. “Os alunos já chegam no ensino superior ou nos conservatórios com conhecimentos avançados e isso facilita na hora de aprimorar o ensino nos instrumentos”, afirma Barros.

Fundador

Criada em 1994, na Rua Jerônimo de Albuquerque, na Barra do Ceará, a Casa de Vovó Dedé surgiu como uma escola de ensino fundamental pelo jornalista e radialista Mansueto Barbosa (que, aliás, dá nome ao troféu do concurso).

Após seu falecimento, a instituição passou a contar com cursos de educação musical, de violão, acordeom, piano, violoncelo, flauta, violino, balé e artesanato.

O fundador ainda foi conselheiro do Lar Antônio de Pádua, entidade de assistência as crianças, e da Sociedade de Assistência aos Cegos, além de ter prestado auxílio a inúmeras outras instituições, como Lar Francisco de Assis, Lar Torres de Melo, Iprede, Instituto do Câncer e Desafio Jovem.

Atualmente, a entidade oferece auxílio a 180 crianças e jovens da Barra do Ceará e de bairros próximos.

Veja na íntegra